domingo, 22 de janeiro de 2012

XYZ / interactive sound installation and pirate radio transmitting / Hugo Paquete / 2006 and 2009

Hugo Paquete_xyz_interactive sound installation_Variable_2006 / 2009


Hugo Paquete_xyz_interactive sound installation_Variable_2006 / 2009







































RELACIONAIS XYZ


Nesta pesquisa procuro equacionar a partir da captação de frequências rádio uma reflexão sobre a realidade tecnológica e informacionalista que nos envolve e os subprodutos comunicacionais existentes na contemporaneidade.
Explorando o conceito da informação dissipada ou anti-informação.
Sendo assim com a captação de frequências e estática em “sw” procurei encontrar um elemento representativo da informação existente na realidade mas que no entanto não é processada ou apreendida como elemento concreto devido a sua desfragmentação e imaterialidade espacial, efectuando assim uma analise concreta sobre um fenómeno real que por meio de filtragem instrumental e técnica se transforma, perdendo a suas características comunicativas concretas.
Fundamentando-se como um elemento abstracto e desfragmentado.
Configurando-se como um elemento que apela a fuga ao elemento exótico da caracterização comunicacional e objectual.
A partir desta reflexão, será importante referir que a comunicação é sempre um elemento precário, que se fundamenta num entendimento de um código procedente de um conjunto de símbolos pré-existentes, enquadrados num contesto sócio-cultural.
Estando esta pesquisa plástica apelando a uma reflexão sobre a comunicação, num sentido abstracto, acentuando distanciamentos e rupturas  informacionalistas, tentando fundamentar-se como um código universalista assente na sintetização dos objectos e dos seus códigos.
Dando origem ao paradigma de uma realidade politópica, em que o individuo se enquadra em paradoxo, não apreendendo todos os códigos e informações existentes no sistema, e nos micro sistemas existentes.
Esta pesquisa vem no desenvolvimento de um percurso em que a realidade é explorada, na sua dimensão concreta, mas que por descontextualização espacial dos fenómenos de manipulação, é retransformada e equacionada num outro contexto. Podendo-se referir por vezes uma atitude de ready made sonoplástico.
Testando os limites da relação que temos com a realidade e a forma como a percepcionámos: com mais ou menos antagonismo.
Explorando a relação do receptor e do emissor no seu protagonismo participativo na construção de uma peca ou obra, como nos é apresentada nesta pesquisa onde o receptor manipula a informação existente recriando a sua configuração plástica e simbólica como se de um jogo universalista se tratasse.
Esta peca transporta-nos para uma linguagem depurada e sintetizada com o objectivo de retratar uma estética de paisagens mentais estruturalista, tentando uma relação mais conceptualizada com os objectos em que a partir da lógica atingimos a abstracção.
Onde nada vos é oferecido gratuitamente.
A opção do áudio fundamenta-se com a escolha dos materiais de registo que comportem um carácter imaterial e anti objectualista, capazes de definir registos concretos como os elementos por mim manipulados (frequências e estática da rádio).
A escolha destes elementos relaciona-se com a exploração do conceito do universo informacional existente na realidade, e dos media e das suas emissões anti comunicacionais, porque tudo se prende aos objectos de captura e registo de determinadas realidades existentes ,e não percepcionadas, e nem tudo o que se vê é verdade, e nem tudo o que se ouve é mentira: a única coisa que nos resta é saber que a realidade é um espaço em expansão, numa dimensão física e virtual e que o homem já não é a escala das coisas. Nem o mundo construído sobre as suas proporções.
NOTA: A INFORMAÇÃO SONOPLÁSTICA DESTA INSTALAÇÃO ESTÁ A SER EMITIDA NA FREQUÊNCIA DE 96 / 98 Mhz PARA O PRÍMETRO CIRCUNDANTE DA GALERIA.

HUGO PAQUETE 2006